segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Pur Lelise

Lembro-me como nos queimávamos enquanto nosso abraço se permeava nos tempos, já tomou um choque e teve a sensação de que o tempo parou? Sei que foi difícil escapar de você, sabe que eu nem tentei resistir?

Naquele belo dia que tudo foi acontecendo e quando nos demos conta você cuspia seu lanche enquanto falávamos de nós dois. Foi num belo dia de quase inverno (lá pra Maio eu já começo a contagem regressiva para os dias frios) e foram nesses dias seguintes que a gente dormiu no carro curtindo um sonzinho, ficamos ali, juntinhos, olhando um pro outro até adormecer.

Acho que nada seria melhor nesta vida do que essa pequena andando pela casa, chorando, gritando e não falando nada além de frases com no máximo 2 palavras (exceto quando ela lista a família toda numa festa maluca e feliz, com muito mamá, mimi, au au e minhaus). Ela tem muita coisa sua...

Saudades de todos os dias... Bem-vinda. Meu amor.

“By the ocean waves, we are coming. Singing songs about our country and the nature. By the ocean waves, we are diving like birds, looking there again for all the people and creatures.

In a long jump, you go high of most of higher. We are thankfully for all the graces. And me, sited down in the park bench, looking you landing by my side. Telling how amazing was this flight. I hug you, while the child plays in front of us, admiring the sunshine.”

Hoje você completa mais um ano terráqueo. Aproveite.


Nenhum comentário: