domingo, 4 de setembro de 2011

Sublime

De certa forma ao tocar os céus, aquele avião se partia em dois. O fogo transformava em poucos segundos tudo aquilo em cinzas, consumindo cada ser vivo dentro daquele que se chamava de fornalha. 

Um para-quedas aberto deslizava das alturas em direção ao solo.

O herói em sua forma mais fantástica, o alter-ego deixou de ser para se transformar em ego. Enquanto a queda era a unica certeza, ele veria que o horizonte jamais poderia mudar sua posição e que por mais relativo que fosse o método a se observar, a observação seria a mesma.

Ele viu o mundo que ninguém podia ver, ele viu lá de cima após ter o corpo incendiado, reduzido a carbono, após ver todo o sofrimento das pessoas ao redor, o desespero de todos aqueles entes queridos que por mais desesperados que estivessem, nada poderiam fazer. O acidente aéreo consumando-se, não houvera sobreviventes.

Aquele para-quedas era somente ilusão, um fato proposto pela mente da garota que aguardava pelo herói que ele poderia ser, mudou-se a perspectiva, ele agora veria o mundo em sua forma mais primaria, veria agora de uma forma que os mistérios estivessem revelados, o caos não seria mais problema para aquele corpo sem vida.

Sua amada o esperava de braços abertos, de corpo, alma e coração.

Foste embora faltando um pedaço, o vilão vencera.



2 comentários:

netinhooo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.